Encontrar o local onde se conjugam todos os factores que tanto preza Dieter Morszeck não foi tarefa fácil, mas a persistência e a exigência em manter as expectativas altas acabaram por pagar.
Quando conheceu a Quinta do Paral, foi amor à primeira vista para o Dieter Morszeck que não hesitou um segundo: aliava a qualidade das vinhas para produzir vinhos ímpares e o potencial em desenvolver uma unidade de enoturismo que respondesse aos seus sonhos.

Situada no Alentejo, na sub-região da Vidigueira, a Quinta do Paral nasce da ideia muito clara de partilhar essa quinta, que produz vinhos de qualidade, com hóspedes do mundo inteiro que podem desfrutar da calma típica do Alentejo, das vinhas que rodeiam a antiga casa que pertenceu à Condessa de Santar e que está a ser transformada em hotel com dezoito quartos, um restaurante e um bar, da gastronomia regional tão saborosa e do céu estrelado que oferece um espectáculo sumptuoso, pondo estrelas nos olhos de quem tem a sorte de assistir a esse momento mágico.

A Quinta do Paral tem também vinhas velhas, com mais de 40 anos, que produzem vinhos tão genuínos e de excelência, tanto tinto como branco, com características típicas da Vidigueira: uma frescura invulgar para a região, uma acidez que permite guardar os vinhos e desfrutá-los muito tempo depois de terem sido engarrafados e uma fruta apelativa que satisfaz o paladar dos apreciadores.

Nenhum vinho poderia ser feito sem um cuidado particular à vinha e à forma como o vinho é feito: a sustentabilidade é uma das palavras chave deste projecto e todos os cuidados são dados para que a quinta produza vinhos excelentes não só hoje, mas também amanhã. Porque só assim é possível abordar a produção de vinhos, de uma forma sustentável, respeitando os eco-sistemas e os métodos de produção tradicionais. Luís Leão, o enólogo da Vidigueira e da Quinta do Paral, cuida das vinhas e dos vinhos, como se de filhos se tratasse.